<>

Home » Poesias Quarta-Feira, 19 de Dezembro de 2018







[ A ] [ B ] [ C ] [ D ] [ E ] [ F ] [ G ] [ H ] [ I ] [ J ] [ K ] [ L ] [ M ] [ N ] [ O ] [ P ] [ Q ] [ R ] [ S ] [ T ] [ U ] [ V ] [ W ] [ X ] [ Y ] [ Z ] [ 1 ... 9 ]


TORRES DESSE AMOR
por: Alessandro Borges

Fala comigo meu grande amor!
Assim, desse jeito envolvente,
desse jeito expoente.

Deixa eu te amar ainda que seja distante demais para mim,
ainda que eu perca o tempo,
a hora de ir para casa.

Quero te amar sozinho,
de um geito baixinho,
onde eu possa te tocar com meu peito esquerdo,
beijar-te com minha boca quente,
chamar-te de amor nascente.

Fala comigo amor, meu amor, meu sempre amor.
Desejo que sejas minha nanorada

Minha mulher
Minha menina mimada,
para que eu desculbra o encanto dos teus abraços,
O calor suave dos teus beijos,
O lençou da tua cama perfumada,
O teu amor de poetisa, minha alma encarnada.

fala comigo no domingo,
na segunda...
Quando fores dormir,
Quando fores lecionar
Quando cheia desejos ao amor fores te entregar.

fala comigo meu amor!
Fala assim, do teu geito só minha.
Diga-me que muito me quer,
Que um dia nos encontraremos, e sem reservas nos amaremos,
neste ninho dominical.

Me fala meu amor sinceramente,
Que eu te desperto amor, latente paixão...

Que toco fundo em teu coração.